Watch live streaming video from occupynyc at livestream.com

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Putin prepara-se para uma guerra nuclear (e tem bunkers para se salvar)

O presidente da Rússia, Vladimir Putin

O presidente da Rússia, Vladimir Putin

O Presidente russo, Vladimir Putin, tem dois “enormes” bunkers 300 metros abaixo do solo, mesmo por baixo de Moscovo. Lá cabem 10 mil pessoas. Isto é Putin a preparar-se para os tempos de guerra, diz o Pentágono.

Segundo um relatório da Defense Intellignece Agency, DIA, citado pelo jornal britânico The Times, a Rússia está a preparar-se para a eventualidade de uma guerra nuclear, por acreditar que os Estados Unidos estão a preparar a queda do presidente Vladimir Putin.

“O Kremlin – complexo fortificado no centro da capital russa – está convencido de que os EUA estão-se planear uma mudança de regime na Rússia”, indica o relatório. “Moscovo está preocupado que os Estados Unidos tentem impor um conjunto de normas internacionais que ameacem a base do poder russo, permitindo a ‘intervenção’ de países estrangeiros nos assuntos internos russos”, lê-se ainda.

Os bunkers “gigantes” são mantidos debaixo de terra – mesmo por baixo da capital russa – para que a elite do Kremlin lá possa viver durante meses após um ataque nuclear – algo que a administração russa está convencida que são esses os planos do Pentágono.

“Há uma instalação subterrânea profunda no Kremlin e um enorme bunker perto da Universidade do Estado de Moscovo, destinadas a assegurar a sobrevivência da autoridade de comando nacional em tempo de guerra”, continua o relatório.

“Sistemas de suporte de vida altamente eficazes permitem operações independentes muitos meses depois de um ataque nuclear”, diz o relatório citado pelo jornal britânico.

Segundo o relatório da Agência de Inteligência de Defesa sobre o poder militar de Moscovo – o primeiro desde os tempos da Guerra Fria, mas que traz de volta a “paranóia” que se vivia nesse tempo – os enormes bunkers estão a 985 pés, cerca de 300 metros, debaixo do solo e têm capacidade para albergar até 10 mil pessoas.

Os abrigos estão ligados a outros fora da cidade e ao terminal VIP no aeródromo de Vnukovo, a 28 kms do centro de Moscovo, caso Putin e a sua comitiva precisem de fugir.

O relatório – que antecede a eleição de Donald Trump como Presidente dos EUA, mas só agora foi divulgado – diz ainda que Putin acredita que a potência americana está empenhada na mudança de regime russo, como parte dos esforços para “promover a democracia em todo o mundo”.

Desde 1981 que o Pentágono produzia uma avaliação sobre as capacidades de guerra da União Soviética, mas esses documentos pararam em 1991, dez anos depois, com a queda do Estado socialista.

O tenente general Vincent Stewart – diretor da DIA – disse que era hora de voltar a fazer os relatórios, devido ao ressurgimento da Rússia no cenário político mundial.

A agência destaca ainda a forma como o Kremlin mantém os bunkers interligados por uma rede ferroviária que dá aos membros da elite política e militar russa a oportunidade de uma fuga rápida na eventualidade de um qualquer evento catastrófico.

Durante a campanha eleitoral de Donald Trump era esperado que as relações entre as duas potências aquecessem e se tornassem numa bonita amizade, mas isso nunca aconteceu – pelo menos até agora – porque a Casa Branca envolveu-se num escândalo que liga a campanha republicana ao Kremlin.

Além disso, a tensão entre as duas potências tem crescido devido à divergência de posições acerca da Síria – a só aumentou depois de Trump ter prometido agir contra Bashar al-Assad, um velho aliado de Putin.

Mas Putin enfrenta agora um desafio substancial: apesar de um aumento contínuo nas despesas com a defesa, este ano o orçamento russo cairá em 30% devido à baixa do preço do petróleo.
Os bunkers e os líderes mundiais – uma história íntima

Esta não é a primeira vez que se ouve falar em bunkers para salvar líderes mundiais.O norteamericano Robert Vicino, especialista em sobrevivência, alega que os líderes das principais nações mundiais “já sabem que o fim do mundo está próximo”, e estão secretamente a preparar-se para ele construindo bunkers subterrâneos.

Em fevereiro, o especialista deu uma entrevista ao britânico The Sun, na qual conta que os líderes mundiais estão a preparar-se para o fim do mundo, construindo bunkers subterrâneos secretos para a elite política, diz Vicino, que garante que os governos dos EUA e do Reino Unido já estão a fazer planos secretos para salvar as suas vidas, planos esses que não nos incluem. “Eles não têm um plano para si ou para mim, só para eles“.

Segundo o perito, o maior destes abrigos nos EUA foi planeado em 1983 e encontra-se debaixo da cidade de Denver. Tem capacidade para apenas 10 mil pessoas e está “reservado exclusivamente a funcionários do governo e pessoas poderosas”.

O especialista cita ainda um “exercício de preparação para um desastre nuclear” realizado na Rússia, no qual participaram 40 milhões de pessoas, que diz ser uma prova de que o fim pode estar mais próximo do que imaginamos.

Mas segundo Robert Vicino, a razão destes planos secretos não é uma provável Terceira Guerra Mundial – o verdadeiro receio da elite que governa o mundo e se prepara para o seu fim é na realidade que aconteça um desastre natural de proporções gigantescas.

fonte: ZAP aeiou

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...